30 maio 2010

Gravura em Metal / Intaglio


  • Gravura em metal sobre uma placa de alumínio medindo 50X70cm gravada ao estilo Ponta Seca para a série "Chuvas". O trabalho foi gravado usando duas ferramentas da Edward C. Lyons: Half Tone Rake 45~65 screen e Scratch Board 25 gauge. Foi entintada com tinta composta de 70% de azul profundo e 30% de negro. Foram tiradas 10 cópias em papel Rives Tradition Bright White 320g/m2.
  • Estará (Esteve) exposta na Mostra "A Cara do Rio" que irá do dia 27/02/2010 a 11/04/2010, com inauguração no próprio dia 27/02 de 15 às 19 horas no Centro Cultural dos Correios, no Rio de Janeiro-RJ. Veja mais detalhes no site da Villa Olivia, no endereço A Cara do Rio
  •  Da direita para a esquerda e de baixo para cima, estão quatro momentos do processo de gravação. A primeira imagem é um desenho e mostra o primeiro rascunho em meu sketchbook.  A segunda é o primeiro resultado da gravação como desenhada no sketchbook. A terceira imagem ganhou contornos mais pesados e um tom mais azulado, dando mais intensidade à massa de chuva que ameaça a cidade. Na quatra imagem intensifiquei a chuva e aumentei os contornos do Pão-de-Açúcar, definindo melhor o traço da Baía de Guanabara.
  • Hoje, revendo esse post, encontrei uma foto publicada no Blog Aventuras de uma Gringa (Adventures of a Gringa) com o ótimo texto "Apocalypse Now - Well, not exactly now, a few days ago. I looked out the window and yelled, "Hunny, get the camera! It's Armageddon outside!" e uma foto bem legal, que reproduzo abaixo

  • Algo de curioso ocorreu com essa gravura, algo premonitório (não é difícil ser premonitório quando o assunto são as chuvas no Rio de Janeiro, até mesmo porque essa foto foi tirada quase um ano antes de eu pensar no desenho para a gravura), pois um pouco antes do fim da exposição caiu sobre a Cidade do Rio de Janeiro a maior massa de chuvas já registrada. Isso pode ser medido pela reportagem do Jornal Estadão, como escrito em seu site de notícias:

    O Corpo de Bombeiros informou nesta tarde que o número de mortos pela chuva chegou a 82 no Rio de Janeiro.
    Entre os locais mais atingidos estão Niterói, com 41 vítimas fatais e 21 feridas; a cidade do Rio, com 33 pessoas mortas e 52 feridas, e São Gonçalo com 5 óbitos registrados e 8 feridos. Foram registrados também uma morte em Nilópolis, Paracambi e em Petrópolis.
    Em razão dos deslizamentos de terra e das enxurradas, o resgate ainda busca cerca de 13 pessoas desaparecidas. Mais de 270 pessoas foram resgatadas com vida até o momento.
    Prejuízo
    A Secretaria Especial da Ordem Pública (Seop) da Prefeitura do Rio recuperou até esta tarde 87 veículos enguiçados abandonados pelos motoristas nas ruas da cidade.
    Segundo a prefeitura, os veículos foram deslocados para lugares mais altos, como calçadas e postos de gasolina das imediações.
    Também foram retirados veículos inundados ou com problemas mecânicos na Praça da Bandeira, em ruas da Tijuca, do Humaitá, Jardim Botânico e no entorno da Central do Brasil.  
    O tamanho do estrago foi ainda maior do que o mostrado pela reportagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário