12 outubro 2010

Caixa de Luz para Solarplate / Solarplate Light Box

  • Se você quer fazer gravuras em metal sem estar envolvido com ácidos ou quaisquer outros produtos químicos que podem afetar o meio ambiente ou a você mesmo é recomendável que você use placas de Solarplate e ter o sol como "revelador" de sua gravura. Se você mora em uma cidade onde o sol não te deixa na mão, então você pode usá-lo para fazer uma Heliogravura.
  • Mas não se pode controlar o sol quanto aos dias em que ele aparece ou sua intensidade luminosa. Você precisa de uma caixa de luz controlada. Luz UV (ultravioleta). Mas como fazer uma funcional? Aqui vai um passo-a-passo para construí-la com grande facilidade (e um pouco de habilidade).
  • O que você vai precisar:
  • Placas de compensado de 1,5 cm de espessura:
    • 1 placa de 50X30 cm
    • 2 placas de 30X25 cm
    • 2 placas de 47X25 cm
  • Placa de compensado de 1 cm de espessura:
    • 1 placa de 47X27 cm
  • 2 metros de fio elétrico
  • 4 lâmpadas blacklight com as seguintes especificações (essas lâmpadas são fáceis de encontrar no mercado brasileiro):
    • F15w /BL 350
    • BLACKLIGHT 350
    • 438 mm de comprimento
    • 26 mm de diâmetro
    • Marca Sylvania (Made in Germany)
  • 2 reatores elétricos para 15watts com saídas para duas lâmpadas cada um
  • 8 abraçadeiras para fixar as lâmpadas
  • 8 parafusos para fixar as abraçadeiras
  • 8 tomadinhas com rabicho para conectar as lâmpadas aos reatores
  • 2 alças de ferro tipo puxador de gavetas (uma para transporte e outra para levantar enquanto utiliza)
  • 22 parafusos 
  • 1 pouco de fita isolante
  • 1 terminal para conexão elétrica
  • 1 interruptor de corrente elétrica.
  • A foto abaixo mostra a caixa pronta, com a "boca" virada para baixo, que será onde você irá pôr a placa de Solarplate. Veja que existe um espaço entre o tampo da caixa e uma segunda tampa (interna), sobre a qual serão instalados os reatores elétricos para dar funcionalidade às lâmpadas.
  • A foto a seguir mostra a caixa com alguns elementos instalados.

  • A foto a seguir mostra o interior da caixa com a tampa interna, as lâmpadas instaladas e as abraçadeiras.


  • Como todo processo para realização de gravuras em que se usa a luz para revelação e secagem, há a necessidade de extinguir o espaço entre a placa foto-sensível e a "matriz" transparente (no caso do Solarplate é usada uma folha de acetato). Nos laboratórios isso é feito numa câmara à vácuo que "cola" a matriz no meio foto-sensível. Aqui nós vamos receitar (beleza!) uma engenhoca bastante simples. Com uma base para levar um bolo confeitado à mesa, um vidro translúcido, dois suportes de madeira para prender o vidro e uma placa de borracha, construí o suporte onde será colocada a placa de Solarplate e a matriz de acetato. Vejam como ficou:


  • O vidro (de 4mm) deverá pressionar a matriz de acetato sobre a placa de Solarplate (há uma nas fotos acima e abaixo), fazendo com que a luz não escape por sobre a placa foto-sensível estragando o seu trabalho. Abaixo segue outra foto que mostra a funcionalidade do suporte. Será conveniente usar um clipe de pressão (bem onde está o meu dedo na foto abaixo) para manter o vidro pressionado por sobre a placa e o acetato.

  • Após confeccionar a matriz em acetato coloque-a (com a parte onde há toner virada para baixo) sobre a placa Solarplate e sobre o suporte ponha a caixa de luz. A sensibilização da placa deve variar de 90 a 120 segundos.
  • O processo para obtenção da imagem é simples. Você o verá lavando a placa de Solarplate em água corrente com uma escovinha de plástico. Depois que a imagem aparecer seque a placa e a ponha de volta sob a caixa e faça o endurecimento do polímero por 5 minutos. Estará pronta para ser impressa.
  • Fiquem espertos e façam um curso de Solarplate com a Sheila Goloborotko quando ela estiver entre o Rio e São Paulo.
  • Boa sorte ao fazer a Solarplate Light Box e sempre lembre de utilizar equipamentos de segurança para proteger olhos e mãos, já que sem eles (olhos e mãos) você não poderá fazer gravuras.

9 comentários:

  1. Bravo Ângelo,
    aqui em Portugal ainda não me apercebi que houvesse "solar plate", contudo esta sua explicação tão pormenorizada da caixa poderia ser aplicada à sensibilização das emulsões que se aplicam em quadros serigráficos. Infelizmente o cheiro das tintas serigráficas afasta-me dessa técnica onde quase tudo é toxico.
    O alerta para mãos e olhos é fundamental pois os artistas gravadores tendem a menosprezar esses preceitos.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Luis, pelas palavras.
    Não Brasil também não se vende Solarplate. É uma dificuldade grande obtê-las (tenho que importá-las) mas vale a pena trabalhar com esse material.
    abraços.
    Angelo

    ResponderExcluir
  3. Oi,Angelo.Fiz o workshop da Sheila com vc(eu era do grupo de Teresõpolis.Estou com uma duvida- a reticula q foi comprada serve pra ser colocada no momento da fotossensibilizaçao ou depois.Vc pode me ajudar, por favor.Abs,Patricia.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Patrícia. Obrigado por vir ao Blog.
    Vamos aos passos:
    1 - preparou a transparência (desenho final que será reticulado)
    2 - Coloque a retícula com o lado "pintado" para baixo com alguma pressão sobre ela, como demonstrado aqui no blog (isso evita que entre luz na placa de solarplate)
    3 - Dê uma "queima" na caixa por 1:30 minuto
    4 - Retire a retícula e entre com o desenho final (aquele do passo 1)
    5 - Dê uma "queima" na caixa de mais 1:30 minuto na mesma placa de solarplate. Se você está usando a caixa que eu projetei, isso pode ir até 2 minutos, pois vai depender do teu desenho quanto à imagem final.
    6 - Lave em água corrente com a escova e tal e tal, como a Sheila ensinou.
    A idéia por trás disso é a seguine: quando você põe a retícula e aplica a luz, os pontos pretos da retícula mantêm-se laváveis pela água. Você obtêm uma placa em que os pontos pretos serão "lavados", ocasionando micro pontinhos no solarplate. Quando você expõe pela segunda vez com a imagem final, essa imagem faz uma mixagem com os pontos anteriores (que estavam laváveis) e endurece alguns pontos que antes estavam ainda laváveis. O que resta ao final de duas exposições são duas áreas, uma lavável e outra não lavável.
    Abraços e boa sorte.

    ResponderExcluir
  5. Angelo
    Favor entrar em contato com Sergio Couto na EAV - Parque Lage. Seu nome foi indicado por Sheila Goloborotko.
    Grato e um abraço
    Sergio Couto
    EAV Prque Lage
    21 3257-1815
    sergio.couto@eav.rj.gov.br

    ResponderExcluir
  6. Angelo, tudo bem? Pretendo construir uma caixa de luz para trabalhar com processos do séc. XIX e precisava de uma orientação como esta. A Sheila Goloborotko que indicou seu blog!!! Aproveitei para ver seu trabalho e gostei muito!!! Valeu!!!
    Abraços
    Cláudia

    ResponderExcluir
  7. Alguém tem indicação de quem vende essa caixa pronta?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anônimo,

      procure no endereço http://www.imcclains.com/catalog/blocks/lightbox.html
      Custa cerca de US$350,00 sem contar o frete e a alfândega, que é de cerca de 60% sobre o preço de compra.
      Abraços,
      Angelo Rodrigues

      Excluir
  8. Olá, alguém saberia me dizer onde encontro solar-plate no Brasil? Obrigado. mgebin@hotmail.com / https://www.facebook.com/marcus.gebin.1

    ResponderExcluir