28 outubro 2010

Tankas, Hai-kais &


Ah! como é bom
ouvir uma música
e ter ouvidos para ouvi-la.
Ter um livro e ler.
Ter uma paisagem e poder, 
de fato, vê-la.
Do que falo é quase um segredo
que palavras pouco elucidam.
Mas... falo de estar aqui,
cabendo dentro de mim,
ajustado
com tantos heterônimos
e não perder
essa rara oportunidade.

à Fernando Pessoa
  • Mais uma ousadia poética em meu sketchbook. Desenho feito com canetas coloridas. Esse texto, obviamente, tem absoluta conduta subliminar, quase psicanalitica. 
  • Falo dos momentos em que divididos pelos desejos conflituosos esquecemos de fatos e coisas simples nas quais estamos imersos, que nos dão prazer e não muitas vezes não nos damos conta. 
  • Ler um livro ou ver uma paisagem ou ouvir uma música pode ocorrer em meio a turbilhões, heteronimias (?) que obliteram a satisfação com o mundo.
  • Estar aqui, ainda que com tantos heterônimos (e turbilhões) e poder sentir o mundo é algo de legal. Ou deveria ser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário